10 de outubro de 2017

Na Coreia




A Tertúlia Africana deslocou-se por uns tempos para a Coreia do Sul.


Porque sim e porque em breve nasce cá o mais novo elemento da Tertúlia: o irmão da Bia.


Naturalmente, antes de vir para cá, preocupava-nos a situação política actual. A iminência duma guerra no destino nunca é boa notícia para uma viagem.

Fomo-nos informando aqui e ali, junto de instituições, para reunir variáveis que nos pudessem fazer um esboço do futuro. Num dos locais chegaram-nos a dizer “se houver uma bomba nuclear, não há nada que possam fazer”. Verdade incontornável, mas bastante indigesta. Verdade incontornável para a Coreia e, na verdade, para metade do mundo!

Por outro lado há quem diga que tudo não passa duma manobra de especulação comercial e que não será disparada nem uma chapada.
No fundo, concluímos, andam dois parvos a medir pilinhas, mas ao que parece não são significantes o suficiente para gerar qualquer debate.


Em Portugal ouvíamos as noticias, com intervenções de especialistas e prognósticos políticos que não traziam ânimo nenhum.

Aqui na Coreia a notícia é levada com muita tranquilidade. É ouvido da mesma forma que o referendo da Catalunha ou a meteorologia do dia seguinte. Os Sul Coreanos estão tão habituados à rebeldia do Norte que eu acho que só vão estranhar quando o líder norte Coreano se calar por uns tempo. Aí sim, será um sinal alarmante.


Assim, vive-se por aqui um clima de absoluta tranquilidade e, enquanto se edita o livro das Tertúlias em África (sim, já está em processo), poderei ir partilhando as tertúlias no Oriente.


Até já.

4 comentários:

Joana disse...

em processo e em velocidade cruzeiro.

beijinhos

Anónimo disse...

BOA um livro :) Mas quero saber é das aventuras gastronomicas sul-coreanas com fotos e receitas!!! O Rodrigo mostrou-me as imagens dos ingredientes e eu fiquei a salivar...considero que o repasto/gastronomia é um dos pilares mais genuínos da cultura e identidade de um país ou povo!

macaca grava-por-cima disse...

ena ena... tertúlias orientais promete!!!
BEIJOS

Mateca disse...

O famoso livro que desde o início das "Tertúlias" eu encorajei a escrever! Sinto-me orgulhosa do meu André ... Beijinhos