28 de abril de 2010

Duas mulheres

6h30 na nova casa e puf, vai-se a luz! Normal, penso eu…há cortes um pouco por toda a cidade, de curta duração. Não me ralei. Depois do trabalho ainda não havia luz, o que já não é tão normal. As casas à volta gozavam dessa maravilhosa descoberta iniciada no séc. XVI. Então agora é que não é nada normal! Faço a verificação da praxe aos disjuntores e tudo me parece OK.
Nas redondezas estavam 2 guardas que vigiam as casas. Estavam aparentemente por ali, mas cheirou-me que estavam à espera de mim para me lançar a ajuda, leia-se facilitação de contacto para desenvolvimento hipotético de negócio. Assim foi. Com um deles no carro, a cheirar a um suor acumulado, dei por mim a conduzir dentro de um musseque pouco iluminado, sob orientações gestuais do meu “agente”. Um serpentear por canas de vedação, pequenas machambas, lixo, árvores, crianças a correr, chegámos à casa do electricista. O meu “agente” vai ver do electricista, mas entra no carro e diz:

- Ele não está aqui…está com a outra mulher…

Arregalei os olhos em silêncio, tentei virar-me para o meu “agente”, sem que ele se apercebesse do meu espanto, mas só o consegui ver pelo canto do olho. Tinha algo para dizer, mas nada me ocorreu para além dum óbvio “AH”. Então nada me saiu da boca, meio aberta pelo espanto, mas ele antecipou-se:

- É que ele tem duas, nunca sei onde está!
- E não fica complicado ter 2 mulheres? – disse eu, pensando que às vezes apenas uma já não é fácil.
- Nada! O que dás a uma tens que dar à outra…
- AH, elas sabem uma da outra? – perguntei eu, na minha inocência europeia monogâmica.
- Claro. Tem é que se saber lidar com a situação. Se se dá bons tecidos/comida a uma tens que dar também à outra, senão vão começar a refilar muito.
- E filhos? Tem das duas? – sabendo de antemão a resposta.
- Pois, se fazes filhos a uma tens que ir logo fazer à outra…senão vais ter problemas sérios!
- E elas têm direito a ter mais do que um marido? – insistindo eu nas modernices europeias de igualdade de direitos
- Nada. Não pode!
- OK. Percebido…parece-me lógico! - e riu-me com a naturalidade de tal situação.

A electricidade, que no fundo foi o motivo para ter e introduzir esta conversa na Tertúlia, já está arranjada…

12 comentários:

macaca grava-por-cima disse...

Essas coisas já não te deviam espantar... Estás em África... :-)

André disse...

É verdade cara macaca, mas achei piada à sequência de factos...e reportei na Tertúlia! :)

Rodrigo disse...

Que não se diga que não há principios nas relações em Pemba! Prevalece o Principio (não menos nobre) da Equidade! "O que dás a uma tens que dar à outra" Perfeito :)

macaca bzana disse...

LOL!!! Olha se a moda pega por cá...

Frederico Henriques disse...

Isso não está certo!!! :)

Se disseres a uma Dama que vais ver o jogo do Barça-Inter, e que o Mourinho vai ganhar, tens que dizer à outra...!!!!.

Naaaa....Matematicamente isso é impossível!!!

Só há um jogo de cada vez... :)

Isa disse...

ahahaahhahaha, adorei André, a conversa, claro, não a situação. Tb sou adepta da monogamia ou isso ou comem todos (salvo seja), igualdade de direitos e o caneco ;)))
Bjos

Anónimo disse...

E nós Pemba! Duas vezes, claro.

DR

sofia disse...

E com duas mulheres o senhor ainda arranja tempo para se dedicar a ser electricista?! :) Tiveste sorte em o conseguires encontrar:) bjs

Joana disse...

São todos felizes e isso é que é preciso.

Calculo que tenham o mesmo número de filhos e com idades muito próximas para manter sempre a igualdade.

bjs

André disse...

Nao deve ser facil, so vos digo!!

Carla disse...

Ohhh Andre!!! Podes procurar electricistas com 2 ou ate' mais mulheres. Apenas te aconselho a nao usares nenhum gerador, por favor!!! :-))
Vai rever o verbo rir na primeira pessoa do Presente. ;)

Sara disse...

ahaahhahahahah....efectivamente...conclusivamente...evidentemente...quando nos da uma...tem di dar pra outra....chama igualdade di movimento!!!!